Você está aqui: HomeFornecedor de TINotícias do FornecedorAtualidadesCerca de dois terços das empresas não sentem segurança sobre sua infraestrutura de rede

Cerca de dois terços das empresas não sentem segurança sobre sua infraestrutura de rede

Publicado em Atualidades
26 Setembro 2019

Falta de alinhamento entre a TI e as necessidades de negócio das empresas é citada como a maior dificuldade para limitar a eficácia das redes corporativas

Um novo estudo da Accenture (NYSE:ACN) revela que apenas 36% das empresas se dizem "muito satisfeitas" com a capacidade de suas redes corporativas para atender suas necessidades de negócio, mesmo com a adoção de novas tecnologias digitais, como internet das coisas/edge computing (77% das empresas entrevistadas), big data/analytics (83%) e experiência digital do cliente (78%). O dado revela que 64% das empresas acreditam que suas redes podem ser melhoradas.

Com base em uma pesquisa global com 300 executivos sênior de TI e negócios de grandes empresas, o relatório "Network Readiness Survey: sua empresa está pronta para o futuro conectado?" mostra que menos de 40% dos entrevistados se dizem "muito satisfeitos" com sua capacidade geral (36%) e largura de banda (38%). Metade ou menos disseram estar "muito satisfeitos" com o desempenho de suas redes (43%), segurança (50%) e confiabilidade (50%).

Além disso, esses percentuais permanecem os mesmos quando consideramos a habilidade das redes para atender as necessidades de negócio dentro de 18 a 24 meses. Menos da metade dos entrevistados (43%) respondeu que suas redes estão totalmente compatíveis com tecnologias digitais e computação em nuvem.

O relatório indica a "falta de alinhamento entre TI e as necessidades de negócio", com 48% das respostas, como o maior obstáculo para manter as redes corporativas em sintonia com as demandas das empresas. O segundo maior obstáculo citado foram as "complexidades inerentes entre os requisitos de negócio e as necessidades operacionais" (45%) e o terceiro foram as "demandas por largura de banda, performance e outros aspectos técnicos ultrapassando a habilidade de entrega (45%).

A aparente falta de alinhamento entre TI e áreas de negócios é suportado pela disparidade na percepção dos obstáculos quando as respostas são discriminadas por cargo (por exemplo, CIO/CTO, Diretores/VPs de Infraestrutura/Rede e EVP/VP de Linha de Negócios). Nenhum problema isolado aparece entre os três maiores obstáculos citados pelos entrevistados de todas as categorias de trabalho. De fato, cada cargo reconhece um obstáculo diferente como o maior desafio a ser superado.

Essa disparidade de opiniões também é aparente quando decisões estratégicas de infraestrutura de rede são tomadas em colaboração entre a TI e áreas de negócios. No geral, menos da metade dos entrevistados disse que o processo foi "sempre colaborativo". Por outro lado, CIOs/CTOs tendem a perceber um nível maior de colaboração, com 58% deles respondendo que o processo foi "sempre colaborativo", comparado a 45% dos executivos de negócios e apenas 28% dos seus subordinados imediatos.

"As necessidades de negócios não estão acompanhando a habilidade da TI para entregar os serviços necessários. Nossa pesquisa mostra que as organizações têm um esforço maior a ser feito para garantir que as limitações de suas redes não as impeçam de alcançar os seus objetivos de negócios. Os líderes de TI e de negócios precisam colaborar mais ao tomar decisões sobre as redes corporativas", afirma Prasad Sankaran, diretor sênior e líder global de inteligência em infraestrutura e nuvem na Accenture.

"Nossos clientes devem estar prontos para o futuro em meio ao escalonamento de custos, infraestruturas herdadas e exigências de compliance. Dar suporte a novos serviços digitais com redes previamente existentes exige uma estratégia clara para aumentar capacidade, implementar novas tecnologias e manter um gerenciamento eficiente. Trata-se de adotar um planejamento abrangente de infraestrutura em nuvem voltado à inovação", complementa Sankaran.

O estudo foi desenvolvido em colaboração com a Cisco Systems seguindo dois relatórios recentemente publicados, intitulados "Long Live the Network: The Rise of Network Automation" e "Are You Going Digital Without a Net?".

O estudo completo AQUI

 

Entre para postar comentários