Multi-Cloud e Analytics: motor de crescimento do negócio digital

Multi-Cloud e Analytics: motor de crescimento do negócio digital

O ambiente Multi-Cloud veio para ficar. Segundo a pesquisa State of Application Delivery, da F5 Networks, feita com 3460 CISOs e CIOs, 80% das empresas já estão, em alguma medida, adotando o modelo Multi-Cloud. O quadro se completa com o relatório Gartner Predicts 2018: The Cloud Platform Becomes the Expedited Path to Value.

Segundo os analistas do Gartner, até 2022, 95% das aplicações migradas para a nuvem pública continuarão nesse modelo, sem a possibilidade de voltar ao modelo on-premises. E, até 2020, 60% de todos os novos projetos de aplicações Multi-Cloud incluirão o uso de IA e/ou serviços de Analytics. Para essas previsões se realizarem plenamente, é fundamental que o gestor de TI e o gestor de negócios compreendam como utilizar o melhor de cada ambiente (nuvem privada, nuvem pública, nuvem híbrida) observando a melhor relação custo/benefício. A transformação digital demanda mais capacidade, mais segurança, mais escalabilidade e a Multi-Cloud é o ambiente que atende a essa demanda.

Daqui até o fim desta década, as atividades que criam valor econômico ocorrerão cada vez mais por meio de ecossistemas de negócios altamente colaborativos e entrelaçados – relacionamentos críticos mantidos com empresas ou organizações que vão além da corporação usuária de TI. Isso é denominado economia baseada em ecossistema, e o modelo Multi-Cloud é parte disso.

Agora, as empresas que consomem recursos da nuvem têm acesso a mais capacidades do que nunca. O resultado dessa conquista, porém, é uma maior complexidade.

Ter visibilidade sobre recursos, custos e resultados Multi-Cloud é uma grande preocupação.

Muitas empresas se habituaram a pensar na nuvem como uma caixa preta monolítica, oculta sob uma capa de invisibilidade. Segundo o relatório Trends in Cloud Security: Cloud & Compliance Compatible? de 2017 da Ponemon Research, somente um quarto (25%) dos profissionais de TI e segurança de TI revelaram estar muito confiantes de que conhecem todos os serviços de nuvem que sua empresa está utilizando. A realidade é que a nuvem cria desafios como saber onde os seus dados residem e o que ou quem tem acesso a eles.

O avanço para um ecossistema híbrido/Multi-Cloud com visibilidade e controle, portanto, passa pela adoção de algumas atitudes. Continuar usando soluções de Gerenciamento e Monitoramento é algo essencial para se atingir essa meta.

A real luz a ser lançada sobre esse ambiente, porém, vem do uso de ferramentas de Analytics. É graças aos Analytics que os gestores de TIC terão em mãos os instrumentos necessários para consolidar, gerenciar e beneficiar-se dos serviços Multi-Cloud. Aqui, o ponto chave é alinhar os dados analíticos do Multi-Cloud às métricas do negócio.

Um dos frutos do uso de Analytics é a criação de Dashboards que propiciam visibilidade sobre a nuvem e sobre os negócios.

O coração do negócio digital é a aplicação e, no ambiente Multi-Nuvem, a aplicação ganha elasticidade e disponibilidade. O Dashboard construído de forma a alinhar dados da nuvem com a lógica de negócios da corporação usuária dá ao gestor de TI e ao gestor de negócios uma velocidade de decisão e implementação de mudanças alinhada com a economia digital. Isso acontece porque o Dashboard vai além da visualização instantânea da saúde e do desempenho da aplicação. A partir de regras de negócios que contemplem, por exemplo, a qualidade da UX (experiência de usuário) de um consumidor num portal de e-Commerce, a plataforma Analytics indica, de forma automática, a necessidade de realizar alterações no uso dos recursos Multi-Cloud.

O modelo Multi-Cloud é uma realidade complexa, em que a aplicação missão crítica passa a estar presente não só no data center da empresa mas, também, no provedor de nuvem A, B e C. Acima de tudo, a elasticidade do modelo faz com que, a partir da lógica de negócios e do uso otimizado (custo/benefício) da infraestrutura de TIC, a aplicação se mova de um site na nuvem (privada, pública, híbrida) para outro.

Essa fluidez é uma marca do mundo Multi-Cloud que, para ser bem explorada, exige a combinação de tecnologias mais tradicionais como Gerenciamento e Monitoração com a visão de Analytics. O gestor passa a saber instantaneamente qual o horário de maior acesso ao sistema, quais são os dispositivos de acesso mais usados pelos usuários/consumidores, qual a velocidade de entrega de aplicações aos usuários, se o acesso foi realizado via aplicativo, via navegador, a partir de qual continente, qual pais, qual estado, qual cidade, com o uso de que tipo de dispositivo, em qual horário.

Essa miríade de informações críticas e que trazem visibilidade ao ambiente Multi-Cloud dão um salto de qualidade quando entram em cena plataformas de Analytics. Da imensa complexidade de dados – a fase de Gerenciamento e Monitoração – chega-se, a partir de soluções Data Lake/Analytics, à resposta simples, impactante e que indica o próximo passo a ser dado na TI e nos negócios.

(*) Country Manager da F5 Networks Brasil.