Comércio eletrônico: como evitar fraudes virtuais?

O e-commerce é um dos poucos segmentos que se manteve contra a maré nos anos de crise. Segundo dados da Ebit, somente no primeiro semestre de 2017, o setor faturou R$21 bilhões, um crescimento nominal de 7,5% ante o mesmo período de 2016, quando foram registrados R$19,6 bilhões.

Dentre os fatores que contribuíram para o resultado positivo, está a compreensão dos brasileiros com relação aos benefícios do comércio eletrônico, que permite uma rápida e eficiente comparação de preços e, consequentemente, uma compra com melhor custo-benefício, na maioria das vezes.

Contudo, lojistas e consumidores do universo on-line precisam ficar atentos às armadilhas ali presentes. Para se ter uma ideia, só em 2015, a cada minuto, R$ 3.610,20 foram registrados em tentativas de fraude nas compras feitas pela internet, de acordo a ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude.

Por mais experiente que seja o usuário, os crimes virtuais estão sempre se modificando e todo o cuidado é pouco ao realizar uma transação on-line. De acordo com o guia Como evitar fraudes virtuais, da vitrine virtual UmSóLugar, antes de cadastrar dados pessoais, compartilhar um anúncio de promoção ou baixar um aplicativo no seu celular, é importante conferir algumas características do provedor em questão:

1) Sites de venda de produtos ou serviços
Os criminosos cibernéticos são especialistas em passar aquela falsa sensação de segurança, utilizando-se da sua familiaridade com determinados sites ou eventos. Sites falsos de comércio eletrônico são encontrados por toda a internet. Eles se parecem muito com os sites de comércio eletrônico verdadeiros, por isso é fundamental estar atento aos sinais de alerta. Estas plataformas ilegítimas não lhe enviarão nenhum produto, e só irão roubar os seus dados pessoais.
imagem 1












2) Promoções arrasadoras nas mídias sociais
Existem várias maneiras pelas quais estes sites ilegais tentam atrair visitas, incluindo anúncios on-line nas plataformas das redes sociais. Imagens de produtos das coleções mais recentes das principais marcas com preços baixos incríveis (e, na maioria das vezes, são realmente "inacreditáveis") aparecerão nas mídias sociais mais acessadas. No entanto, este produto na realidade nem se parece com o produto original que você viu no anúncio. A seguir vamos lhe orientar para você saber como reconhecer esses tipos de anúncios on-line e evitar a compra de produtos falsificados e o fornecimento dos seus dados pessoais aos criminosos.
imagem 2












3) Aplicativos para celulares ou tablets
Tenha muita atenção com o que você baixa no seu celular ou tablet. Nem todos os aplicativos que você encontra nas lojas on-line do Iphone ou Android são legítimos. Os aplicativos falsificados são muito parecidos com os verdadeiros, com interfaces, designs e até marcas registradas semelhantes, mas tentam atraí-lo para falsos sites para roubar as suas informações pessoais, financeiras, ou enganá-lo para que se inscreva em um caro serviço de sms.
imagem 3













Caí num golpe! O que fazer em casos de fraude?

imagem 4












Em algumas situações, mesmo com todo o cuidado, podemos ser vítimas de uma fraude ou trapaça. Os golpes on-line afetam todos os tipos de pessoas, independentemente da idade ou do status social. De acordo com os dados do órgão de monitoramento - Crime Survey da Inglaterra e do País de Gales - uma pessoa a cada 10 experiência algum tipo de fraude. Todo país tem a sua própria autoridade de segurança específica que supervisiona o mercado e lida com casos infelizes de defraudações, além da polícia local. É particularmente importante agir com rapidez no caso de você ter sido vítima de roubo de identidade. Afinal, o que mais podemos fazer neste momento?

(*) Gerente de Marketing Online da vitrine virtual UmSóLugar, focada em moda, beleza e estilo de vida.