Tablet: se você não tem, terá

Há exatos dez meses estive em Las Vegas para um evento e aproveitei para adquirir o meu iPAD. Foi uma aventura, o produto estava esgotado e não estava disponível nas lojas. Era incrível ver a quantidade de pessoas que entrava nas lojas, perguntavam sobre o iPad e faziam cara de decepção ao saber que não iriam levar o iPad para casa.

Nem todos sabiam, mas os mais antenados tinham a informação previlegiada, que a única forma de ter seu iPAD, era fazer uma reserva na loja, aguardar o recebimento de um email de aviso e ai você tinha 24 horas para buscar o produto, caso contrário perderia a vez. Minha estadia era curta e com isso me conformei que não seria ainda nessa hora que eu levaria um iPad para casa, mesmo conformado fiz reserva nas 3 lojas de Las Vegas (hehe). Mas para minha surpresa e alegria em 48 horas, recebi um email me avisando que estava disponível meu segundo tablet.

Essa introdução foi para colocar o leitor no clima do que a Apple foi capaz de fazer novamente. Ela conseguiu repetir o sucesso das suas recentes inovações, mas para mim nessa ela se superou. Os mais atentos devem ter notado que eu disse que foi meu segundo tablet. Sim, antes já havia tido um tablet da HP, que também é notebook e sinceramente não vi utilidade nenhuma na função de tablet. Junto tinha um notebook, a escolha era sempre o uso do notebook e chegava até esquecer que eu tinha um tablet.

A Apple conseguiu, por sua vez, ao contrário da HP, posicionar corretamente o produto num espaço que vinha sendo explorado pelo finado Netbook e ao mesmo tempo viabilizou uma infinidade de apps (aplicativos) para essa plataforma.

Após 10 meses de uso e vendo os números que vem sendo divulgados de venda de iPad e outros tablets, os movimentos dos concorrentes da Apple para pegar o vácuo neste movimento e a queda das vendas de PCs, não deixam dúvidas, o tablet veio para ficar.

Muitos ainda me dizem: “Não senti ainda necessidade de ter um tablet” – e minha resposta é: “Pague pra ver. Compre um e nunca mais vai querer ficar sem”. Tecnologia é assim, você não precisa de algo, mas ao ter passa a sentir a necessidade e não se imagina mais vivendo sem aquilo.

Mas o que de fato eu faço com o tablet, que mudou o meu dia a dia? Vamos aos principais fatos:

1) Aumento significativo da leitura de conteúdo da web. Definitivamente o tablet é um dispositivo para consumo de conteúdo e a leitura de blogs, através de leitores de RSS, navegação web, jornais, revistas, eBooks, Redes Sociais, enfim uma infinidade de conteúdo de acesso rápido e de qualquer lugar do mundo. Para quem cultiva o hábito da leitura é um companheiro e tanto. O seu tamanho, peso e estar pronto para o uso, incentivam o seu uso em leituras num sofá, taxi, avião, café entre outros locais onde um notebook traria uma certa dúvida: ligo ou não ligo?

2) Mobilidade de fato. Em termos de mobilidade, comparar um notebook com um tablet é covardia. Se compararmos com um netbook ai sim o critério de mobilidade é passível de discussão, mas nos demais critérios o netbook fica pra trás. Reuniões, eventos, viagens de Negocios o tablet é mais que suficiente, ou melhor, é muito superior.

3) Entretenimento. Neste aspecto os dois itens anteriores contribuem também, pois leitura e mobilidade são ótimos ingredientes do entretenimento, que aliados a infinidade de vídeos, filmes, fotos, músicas e jogos, tornam o iPad um forte concorrente ao videogame e ao PC.

E o que deve vir por ai?

Aplicações de Negócios ainda estão “na prancheta”. Obviamente não seria possível termos o software antes do hardware, mas agora com essa infra estrutura disponível e os mais novos tablets da Samsung, da RIM, da Motorola entre outros, agora é a vez dos produtores de software abastecem os executivos, de aplicativos de Negócios que já vem sendo demandados.

Oportunidades a vista.

A conclusão a que chego é que o tablet achou seu espaço e veio para ficar. A Apple ajudou, mas agora, não importa de qual fabricante será, o fato é que: “Tablet se você não tem, terá”

Nota: Post editado e postado através do app do WordPress para iPad. Ah… Confortavelmente sentado no sofá!!!

 

Originalmente publicado no TI Especialistas